Publicado por: Blog do Trio | 19/08/2010

América Colorada.

Crédito: Folha Online

Nação Corinthiana,

O Internacional/RS venceu, na noite desta quarta-feira, a Copa Santander Libertadores de maneira irrepreensível, batendo o Chivas por 3 a 2 em Porto Alegre.

Deixando de lado a arrogância colorada, ficou claro que, para vencer o torneio internacional, é imprescindível ter uma base sólida e um planejamento consistente.

E nesta conta não se encaixam atos como realizar grandes arroubos e promessas vazias, nem abusar da paciência alheia ou extorquir uma massa de torcedores.

Sobre o assunto, recomendo um belo texto postado no ótimo blog da Larissa Beppler, que expressa de maneira completa a sensação que toma este blogueiro diante do que temos vivemos neste ano de 2010.

Será que aprendemos a lição?

fabiosallum.blogdotrio@gmail.com

http://twitter.com/FabioSallum

http://www.formspring.me/FabioSallum

Anúncios

Responses

  1. para ganhar qualquer torneio, basta ter um diretoria seria, um elenco qualificado, e a torcida apaixonada!!!

    o tecnico? qualquer presta.. desde q nao atrapalhe muito!

    Fábio Sallum: Felipe, até o estigmatizado Celso Roth conseguiu.

    Abraços!

  2. NAO.
    Vcs NUNCA conquistarão a América.

    Fábio Sallum: Hahaha.

    Calma, Eduardo.

    O nosso dia ainda vai chegar.

    Abraços!

  3. Gastaram 25% do valor gasto pelo Corinthians..
    A folha de Pagamento é proporcional a isto, ou seja 25% da folha do Corinthians..
    O clube tem diretoria e torcida comprometidas com o clube e não com seus bolsos..
    EU não entendo como após tantos erros, contratações suspeitas, negócios mal feitos, clube caindo aos pedaços, nenhuma obra significativa , esta diretoria continua a ter o apoio das organizadas..
    No clube eu até entendo.. Tem muitos torcedores de outros clubes e alguns que se dizem corinthianos e levam alguma vantagem financeira…

    Fábio Sallum: Max, algumas organizadas andam de mãos dadas com a diretoria, apoiando-a em troca de favorecimentos – perdão de dívidas, ingressos e financiamento de carnaval.

    É triste.

    Abraços!

  4. Que lição Fábio?

    No começo da Libertadores existia um time mais qualificado que o Corinthians pra levar o caneco pra casa?

    O elenco era bom, tinhamos um bom técnico, o time estava se preparando a um bom tempo, fizemos uma boa primeira fase, todos os times do campeonato eram fracos ou estavam passando por fases ruins… dai a desculpa é sempre a mesma: foi a diretoria e o planejamento!

    Que eu me lembre, tudo ia muito bem até o Wagner Love fazer aquele gol lá no Pacaembu.
    Qual a culpa da diretoria? Queria que o Andrés entrasse no campo e desse uma de zagueiro?
    Ou talvez a Larissa quisesse que o Mário Gobbi fosse escalado pra marcar o atacante do Flamengo?

    Não dá pra jogar a culpa no planejamento. Foi ele que nos tirou da série B, nos deu um paulistão invicto e uma copa do Brasil.

    Sinceramente, tem que ter muita imaginação pra conseguir relacionar uma falha pontual do nosso time, com a situação política do clube, o planejamento que foi feito ou as escolhas da diretoria.

    Não quero defender a diretoria. Mas acho esse tipo de crítica excessivamente injusta. Me lembra muito as críticas superficiais do Neto, ou os ataques gratuitos do Juka Kfouri.

    Nós vamos ganhar a Libertadores. Isso vai acontecer. Talvez aconteça com um baita de um planejamento, talvez aconteça numa situação ruim, mas vai acontecer. É só ter paciência.

    O Rosenberg fez um bom trabalho. O Andrés também. Não deu certo. Bola pra frente.

    O nosso time continuará sendo grande, com Lilbertadores ou sem.

    Parabpens ao Inter, que por suas próprias forças e com um pouco de sorte nos cruzamentos, conseguiu mais esse título.

    Fábio Sallum: Blefe, que tal apontarmos os erros?

    Lembra-se do desmanche pós-Copa do Brasil, no ano de 2009? O Corinthians tinha uma equipe que jogava como música e que, pelo “business”, perdeu sua espinha dorsal.

    Foram realizadas inúmeras contratações de nível técnico duvidoso, razão pela qual abdicamos da disputa do Brasileirão daquele ano.

    Foi remontada uma equipe somente em Janeiro, que parecia realmente ser muito boa no papel. Entretanto, o técnico não conseguia dar padrão de jogo e entramos na Libertadores sem termos um time titular definido.

    A diretoria veio à imprensa prometendo a Libertadores à torcida, como justificativa aos exorbitantes preços cobrados pelos ingressos.

    Para piorar, nossa principal estrela não estava mais nem aí com a hora do Brasil. Sem ritmo, inchado e lento, Ronaldo se arrastava em campo, mas ainda conseguia fazer seus gols.

    Passamos pela primeira fase da Libertadores com a melhor campanha. No entanto, jogamos contra equipes fracas, sem mostrar a superioridade técnica que era esperada.

    Na primeira prova de fogo, ficou claro o pensamento tacanho do treinador – que permeava seu modo de colocar a equipe em campo. Jogou no Maracanã contra o Flamengo a fim de assegurar o empate e, mesmo com um homem a mais em campo, sofreu uma derrota.

    Em casa, fez o resultado mínimo necessário e recuou a equipe, chamando o adversário para cima. Tomou um gol e não conseguiu reverter a desvantagem.

    Honestamente, não consigo observar o tal “episódio pontual” a que você se refere, nem realizei críticas superficiais.

    A argumentação que você utiliza só tenta desqualificar a discussão. É preciso saber olhar além das informações que são despejadas diariamente por jornalistas ou assessores informais da diretoria, num verdadeiro exercício de raciocínio lógico.

    Vencer a Série B não necessitava de planejamento. Era obrigação para um clube do porte do Corinthians. Realmente as conquistas do Paulistão e da Copa do Brasil foram os pontos altos e ali pudemos ver que havia uma diretriz traçada. Porém, tudo se perdeu no segundo semestre de 2009.

    Obviamente que vamos vencer a Libertadores um dia. Eu não tenho a menor dúvida disso.

    Mas, para tanto, precisamos nos acostumar a disputar o torneio, mantendo uma base sólida.

    Além disso, não podemos iludir o torcedor, fomentar o oba-oba e nem extorquir os frequentadores dos estádios. Ninguém nunca precisou disso para vencer o torneio.

    Injusto é, para mim, fazer o corinthiano de idiota.

    Aquele que não critica o que é feito de errado é permissivo com a incompetência. Já vimos isso acontecer no passado e não podemos deixar que a história se repita por aceitarmos qualquer coisa como sendo boa.

    Obviamente, eu realmente seria injusto se ignorasse o que é feito de bom. A obra do CT, apesar de atrasada, é um exemplo disso. É algo imprescindível e será um legado para a eternidade.

    Abraços

  5. Blefe é apenas um dos adjetivos que podem qualificar o sujeito que escreveu este monte de asneiras.. Poderíamos citar vários mas deixar para a imaginação do leitores…
    Contratar Bill, Ronaldo (1 milhão por mês), Tcheki, etc.. foram algumas das besteiras que esta diretoria fez.
    E depois, o time não vinha bem na Libertadores.. Vinha se arrastando.. Vinha ganahndo de times como o Independente no sufoco.. Todos sabiam..
    Apenas alguns favorecidos por ea diretoria é que achavam que as coiisas iam bem..
    No primeiro confronto com um time de boleiros, mal preparados é certo, entramos pelo cano.
    Enquanto o clube não se livrer deste tipo de babacas não vamos ganhar nada.

  6. Fabio, o Inter mostrou que não precisa de pirotecnia para vencer a Libertadores.

    Você foi perfeito na sua resposta ao Blefe.

    Cacete, como tem torcedor cego por aí!!!!!!

    Vamos acordar!

    Valeu!

  7. esse blefe é um cuzão mesmo………..
    já soquei esse otário…..
    a mãe dele tb é um blefe…… uma vez saí com ela….. e qdo fui ver, era traveco…..
    soquei porrada tb

  8. Blefe,
    Sua mãe é travesti?

  9. Desmanche: alguns jogadores saíram pra fazer caixa ao clube, outros saíram por que quiseram. Isso acontece em qualquer ocasião desde que o mundo é mundo. O dirigente precisa pensar no time, mas também precisa pensar na questão financeira. Ignorar isso é analisar toda a questão de forma rasa.

    Contratações de nível técnico duvidoso: escolhas do Mano. Nada a ver com o planejamento para o centenário. O Mano escolheu, o Corinthians trouxe. Jogadores como Iarley, Danilo, Tcheco etc já tinham tido bons desempenhos em clubes anteriores. Aqui quem errou foi o Mano. Apostas que não deram certo.

    Padrão de jogo: depois da Copa dop Brasil de 2009 o Mano resolveu mexer no esquema tático do time pra adequá-lo às saídas que aconteceram, e também pra não virar figurinha carimbada pra outros treinadores. O tempo passou e ele não conseguiu o desempenho que queria. Culpa da diretoria? Acho que não…

    Desqualificar a discussão: não tento não. Só acho que esse discurso da diretoria é lugar comum. Sempre que o time perde, vira o argumento mais óbvio pra desqualificar o trabalho que foi feito.

    Fomentar o torcedor: o Andrés quando indagado sobre a libertadores, sempre dizia que o Corinthians só ganharia quando se acostumasse a disputá-la. Nunca disse que iria ganhá-la. O marketing sempre colocou a libertadores como objetivo principal, mas nunca prometeu ganhá-la. Tentaram, não conseguiram. Fazer o que?

    Saber olhar além das informações despejadas pela imprensa: isso eu te garanto que sei. Tanto é que estou aqui dando a minha opinião. Se eu não soubesse, eu iria ser um alienado que seguiria a opinião dos outros. Tanto sei filtrar as coisas, que estou aqui discordando de você e principalmente da Larissa.

    Deixar acontecer o que aconteceu no passado: falar é fácil. o difícil é assumir um clube do tamanho do Corinthians e agradar todo mundo. O Sanches não tem o meu apoio em todas as questões, mas eu sei reconhecer quando o esforço (por mais mal que ele tenha resultado) valeu a pena.

    Eu acompanho o blog a algum tempo e sei que você não simpatiza com a atual diretoria. Isso é normal. Alguns gostam, outros não gostam. Mas isso não quer dizer que um de nós dois está completamente certo. Portanto, dei a minha opinião e acho que ela vai contribuir com a discussão. Só acho chato alguns comentários ofensivos ou que não agregam valor algum ao assunto.

    Fábio Sallum: Blefe, o Mano Menezes teve grande parcela de culpa.

    Entretanto, jogar toda a culpa sobre o treinador não condiz com a realidade.

    Não foi ele quem escolheu Marcelo Matos, Edu, Henrique, Defederico, entre outros. Uns, indicados pelo próprio presidente. Outros, apadrinhados de conselheiros e amigos.

    Todo mundo no Parque São Jorge sabia que Mario Gobbi estava apenas como figura decorativa no Departamento de Futebol, o qual era comandado pelo treinador. Isso chama-se falta de comando e certamente causa problemas.

    É natural que jogadores recebam propostas do exterior e queiram tentar a vida na Europa. Mas cabe aos dirigentes frear os ânimos e segurar a equipe, em prol de um bem maior – no caso, a Libertadores. Não teria sido melhor para André Santos, Douglas e Cristian (que saiu do Corinthians contra a vontade) conquistar a Libertadores e conseguir um centro mais valorizado?

    Os atletas saíram porque as negociações eram interessantes a dirigentes e empresários. Não houve qualquer esforço para manter a base da equipe.

    Infelizmente, quando se conhece um clube por dentro, vemos que a realidade é um tanto diferente do que é publicado na imprensa. Diferente e sujo.

    No início do ano, os dirigentes do Timão lançaram camisetas, pintura de ônibus e, sim, deram declarações de que a equipe estava sendo formada para a Libertadores, que seria conquistada no ano do Centenário. Era a aposta do tudo ou nada.

    Eu realmente não morro de amores pela diretoria do Corinthians, apesar de ter um bom relacionamento com alguns membros e simpatizantes.

    Antes de me associar ao Corinthians, eu tinha uma visão muito parecida com a sua. Mas, ao conversar com as pessoas de praticamente todos os grupos e presenciar como realmente as coisas acontecem, me decepcionei bastante e mudei minha opinião.

    Não quero em nenhum momento fazer com que um ponto-de-vista se sobreponha ao outro. Gosto dos seus comentários e confesso que ficaria feliz se você participasse mais, dando sua opinião sobre os diversos assuntos e engrandecendo a discussão.

    Quanto aos comentários grosseiros, nem os leve em conta. É coisa de moleque.

    Abraços!

  10. Serei curto e grosso.. O individuo precisa ser muito inocente para acreditar nesta diretoria.
    Por mais que um dirigente se esforce, seria humanamente impossível se cometer tantos erros.
    O Inter ganhou esta libertadores com uma folha de pagamento infinitamente inferior a do Corinthians… Sem contar as dezenas de jogadores que o clube paga e que estão atuando em outros clubes..
    Agora mesmo estão fazendo um esforço danado para tornarem o filho do André em jogador.. Estão tirando todos da frente, emprestando (Renato) , não contratando, queimando jogador., etc..
    Fizeram o mesmo qaundo quiseram transformar aquele goleirinho em titular.. Começaram a queimar o Felipe ali.
    ELes pensam em tudo (Business..) menos no Corinthians.

    Fábio Sallum: Exatamente, Euclides.

    O problema é que isso não aparece na imprensa.

    Não me surpreenderia se o André Vinícius figurasse como titular da zaga do Timão no ano que vem.

    Abraços!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: