Publicado por: Blog do Trio | 05/05/2010

Ricardo Gomes, peça demissão! A torcida agradece!

SPFC 0 (3)x0 (1) Universitario

Nação Tri-Mundial,

Uma expressão define bem o que foi o jogo de ontem: Que sufoco!

O que parecia fácil se tornou muito difícil.

A classificação que todos pensavam estar praticamente decidida, foi para a loteria das penalidades.

Loteria onde nosso Capitão mostrou porque é um atleta diferenciado.

Mesmo, em tese, psicologicamente abatido pela penalidade perdida, pegou outras 2, garantindo nossa classificação para as oitas.

Mas vamos ao jogo.

Ricardo Gomes já começou mal na escalação. Mandou o time a campo com Marlos e Dagoberto, deixando Washington de fora. Já errou de cara, ao tirar um jogador com forte presença de área para tentar jogar com velocidade.

É básico que tal estratégia não funciona contra time retrancado em Libertadores. Também não funciona com time com meio-de-campo embolado e confuso tal qual o do SPFC.

Um técnico que se propõe a treinar o SPFC deveria saber disso.

Ricardo Gomes não sabe!

O primeiro tempo, comparado a outras partidas do SPFC no ano, não foi dos piores. O Universitário se retrancou como poucos times, lembrando o Once Caldas naquela fatídica semi-final de 2004, sem, todavia, capacidade de agredir o adversário semelhante à do time colombiano naquela oportunidade.

O meio-campo do SPFC estava desorganizado. As jogadas com Jorge Wagner e Jr. César não funcionavam na esquerda. Hernanes segurava demais a bola no meio. Cicinho aparecia pouco na direita. Ainda assim, perdemos algumas boas chances.

Marlos caía bem pelas pontas e dava trabalho ao adversário. Alex Silva – juntamente com Rodrigo Souto, o melhor jogador do tricolor em 2010 – cabeceou uma bola na trave em escanteio bem cobrado.

No segundo tempo, RG corrigiu seu erro à custa de Jorge Wagner, que deu lugar a Washington. Muito embora não estivesse fazendo uma partida brilhante, acho a presença de Jorge Wagner muito importante.

Talvez fosse o caso de sacrificar Hernanes, que não estava bem. Chances muito claras, com Marlos e Washington foram novamente desperdiçadas. Com o passar do tempo e o placar zerado, o nervosismo tomou conta do time e da torcida.

Cicinho, claramente exausto, deu lugar a Jean. No final, Paraíba entrou apenas para cobrar pênalti.

E lá fomos nós para a loteria dos pênaltis.

Com o desperdício da cobrança por Rogério Ceni, tive a nítida sensação de que a Libertadores se encerraria precocemente – e de forma humilhante – para nós. Mas o próprio Rogério, uma vez mais, salvou o time.

Estamos nas quartas-de -final.

O jogo – e quiçá as próprias oitavas-de-final – podem ser resumidos da seguinte maneira: Ricardo Gomes e o time se preparam e atuaram – tanto no Perú quanto aqui – como se estivessem enfrentando um Estudiantes, um Inter ou um Boca Juniors dos tempos áureos: retranca fora de casa e futebol de resultado no Morumbi. As próprias entrevistas demonstram isso (RG exaltou o empate fora de casa e encarou a batalha de ontem como algo natural).

Esqueceram que jogavam contra o Universitário: um time sem estrutura, com salários atrasados e cujo ídolo foi um jogador medíocre de Santos e Atlético-MG anos atrás. Uma equipe que talvez sequer jogaria a elite do futebol paulista.

Não falta vontade ao São Paulo.

Foi, sim, falta capacidade do treinador, que demorou muito para definir seu time titular (exceção feita à zaga, todos os setores da equipe tiveram revezamento ou disputa de posição até as semi-finais do paulista), que define alguns jogadores como intocáveis (não me refiro apenas a Richalyson, mas a Dagoberto também) e que não teve capacidade de extrair um time entrosado e com toque de bola rápido a partir de um grupo forte, que conta não apenas com bons titulares, mas também com peças de reposição adequadas.

Em suma, se passamos do Universitário, vejo com muito receio a disputa contra o Cruzeiro ou mesmo o Nacional.

Quanto ao técnico Ricardo Gomes, tenho apenas um pedido a fazer: como a diretoria do São Paulo não vai reconhecer o próprio erro e demiti-lo, peça demissão antes que seja tarde demais.

A torcida agradece.

Um compromisso profissional de última hora me tirou do jogo (o primeiro desde a “volta” à Libertadores em 2004). Assim, quero agradecer ao meu grande amigo Renato Moraes, velho companheiro de arquibancada do Morumbi, pela ajuda na interpretação da partida!

Mesmo sofrendo, estaremos lá contra o Cruzeiro!

Aurélio Camargo

aurelio.camargo@blogdotrio.com.br

Siga-me no Twitter: http://twitter.com/aureliocamargo

Escreva você também: #foraricardogomes

Anúncios

Responses

  1. Isso aí, Zoréio! É nóis!

    Campanha “Fora Ricardo Gomes” a todo vapor!

    Renato.

    Fora Franceis!!!!
    Vamos para BH?!
    Abs,
    Aurélio

  2. Aurélio, estou com vc!
    Não da mais! FORA RICARDO GOMES!!

  3. Ricardo Gomes tem que sair, o time não ta “BOM”, nunca entendi essa formação dele.
    gostaria de ver vanderlei comandando esse grupo!!!!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: