Publicado por: Blog do Trio | 01/03/2010

Molecagem na Vila

SANTOS 2 X 1 CORINTHIANS


Nação Corinthiana,

Tivemos uma péssima tarde na Vila Belmiro.

É verdade que a arbitragem foi desfavorável ao Timão, mas não podemos utilizar isto como cortina de fumaça para esconder nossos próprios erros.

Quem tem acompanhado as partidas do Paulistão sabe que o Santos conseguiu montar uma equipe, sob o comando de Dorival Júnior, formada por jovens habilidosos como Neymar, Paulo Henrique Ganso e André.

A chegada de Robinho trouxe mais qualidade a um time dono de um toque de bola rápido, que tenta reeditar o êxito dos famosos Meninos da Vila do início da década.

Diante de uma equipe como essas características, que merecidamente ocupa a liderança do Estadual, como um time experiente, jogando fora de casa, deve se portar?

Ora, com uma marcação forte a fim de conter a velocidade das saídas de bola, auxiliada por uma defesa segura e bem postada, além de buscar o contra-ataque através dos espaços deixados pelo jogo aberto do adversário.

Parece simples, mas não foi para o Corinthians.

A marcação alvinegra foi inoperante, deixando Ganso e Neymar chegar com facilidade à área corinthiana inúmeras vezes. Felizmente, temos sob nossas metas um goleiro que, apesar dos altos e baixos, possui qualidade excepcional.

Isso ficou claro desde os dois minutos da partida, quando Felipe defendeu aquele que poderia ter sido o primeiro gol do Peixe. O camisa 1 do Timão ainda brilhou de novo ao mostrar a Rogério Ceni como se agarra um pênalti, espalmando boa cobrança de Neymar no canto esquerdo do gol.

Felipe ainda fez mais uma grande defesa, ao tempo em que o Corinthians resolveu despertar na metade da primeira etapa, com uma linda bicicleta de Dentinho. O que seria um golaço acabou parando nas mãos do goleiro santista.

No entanto, tal lance foi apenas um lampejo. Os corinthianos foram novamente envolvidos pela velocidade de Neymar que, nas costas de Alessandro, girou e chutou de fora da área, indefensável para Felipe. 1 a 0 para o Santos.

Esperava-se uma reação corinthiana para o segundo tempo, mas as mudanças promovidas por Mano Menezes deixaram a equipe ainda mais fragilizada, especialmente pela entrada de Moacir no lugar de Alessandro.

Com isso, o Santos não teve dificuldades para chegar à área corinthiana, aumentando o placar com André, após bela troca de passes entre Marquinhos e Neymar.

O time da casa tentou segurar o ritmo da partida, mas o Corinthians conseguiu descontar no único lance de Ronaldo na partida, que fugiu da marcação pela esquerda e cruzou para Dentinho que, após uma tentativa, conseguiu marcar seu gol no rebote.

O ímpeto alvinegro aumentou com o gol, mas logo se arrefeceu com a acertada expulsão de Moacir. O lateral direito desferiu um desnecessário carrinho de frente, levantando Marquinhos do chão.

Logo em seguida, Roberto Carlos deu um mergulho infantil na área adversária e recebeu seu segundo cartão amarelo, sendo expulso. Ao meu ver, este foi o erro do árbitro na partida, pois não havia justificativas para tamanho rigor.

Mesmo apresentando bastante nervosismo, a desfalcada equipe visitante ainda buscou o empate. E este quase saiu após Tcheco mandar um cabeceio na trave, mesmo com o gol inteirinho livre à sua frente.

O Santos, por sua vez, não conseguia fugir da linha de impedimento corinthiana. Além disso, não soube aproveitar o a vantagem numérica em campo, jogando sem objetividade e tentando conter os avanços do Timão.

Particularmente, acredito que as reclamações a respeito das “gracinhas” feitas pelos jogadores santistas é muito exagerada. O drible, a finta e a malemolência dos atletas brasileiros já encantou o mundo, mas parece ser combatida em seu próprio país de origem.

Imagina se Ronaldinho sofresse represálias quando fazia magia com seus pés nos tempos de Barcelona? Ou se o próprio Ronaldo – que tanto reclamou da irreverência dos jogadores do Peixe – fosse impedido de realizar jogadas que deixavam seus marcadores falando sozinhos?

Assim como a catimba, a habilidade com a bola deve ser utilizada como instrumento para tirar do sério o adversário. E isso não deve ser combatido com ameaças, empurrões ou cartões amarelos.

A arbitragem nos prejudicou um pouco. Mas perdemos na bola.

E se quisermos conquistar alguma taça neste ano, precisamos urgentemente trabalhar setores que eram considerados chave na vitoriosa equipe de 2008/2009: a defesa e a marcação.

Em resumo: mais trabalho e menos badalação.

fabio.sallum@blogdotrio.com.br

http://twitter.com/FabioSallum

Anúncios

Responses

  1. so defendeu o penalti pq o muleque nao deu paradinha!!!

    Fábio Sallum: Paradinha em cobrança de pênalti não é promessa de gol.

    Fred que o diga.

    Além do mais, o próprio Rogério Ceni se usa do subterfúgio da paradinha em suas cobranças!

    Abraços!

  2. Fábião, concordo com quase todo o post, menos q perdemos na bola… com certeza, sem a influência da arbitragem acho q o resultado justo seria o empate… não querendo esconder nossos erros ( e parece q temos q melhorar muito) e nem desmerecer o Santos q jogou bem mas q o juiz prejudicou todo o espetáculo, isso prejudicou…
    o Tcheco parece q tá mostrando serviço né…
    Abração
    Vai Corinthians!!!!!!!!!!!!!

    Fábio Sallum: Wagner, será que a presença de Roberto Carlos no restante da partida teria feito tanta diferença assim?

    O Corinthians não se deixou intimidar pelo fato de ter apenas 9 em campo, levando bastante perigo à meta santista.

    Ainda tivemos um claro pênalti de Germano em Dentinho, não marcado. Mas o próprio Dentinho poderia ter sido expulso após a cotovelada que deu em um jogador do Santos.

    Uma coisa é verdade: se não fosse o Felipe fechando nosso gol, a derrota teria sido pior. Pode acreditar.

    É preciso trabalhar a marcação e o nervosismo dentro de campo.

    O Tcheco está mandando bem. Dentinho está lutando para ser titular. E Iarley, como fica?

    Abraços!

  3. Bom dia Sallum,

    Não vou me estender.
    Sim, nossa atuação foi aquém da esperada.
    Sim, fomos prejudicados pela arbitragem.
    E, finalmente, atitude absolutamente compreeensível do Chicão. O respeito pelo adversário é fundamental, coisa que esse menino Neymar vai aprender, por bem ou por mal.
    À favor de toda a sua arrogância, ainda, a imprensa. Hoje. Afinal, sabemos como é.
    Uma eventual falha do impúbere artilheiro amanhã, e o encanto pelo timinho da moda acaba…..
    Alguém coloque os pés dele no chão, antes que seja tarde!

    Bjs

    Fábio Sallum: Letícia, minha querida.

    Eu compreendo a atitude de Chicão, bem como de Felipe, que estavam extremamente irritados com o modo de jogar de Neymar.

    Mas não acredito que devemos cortar o futebol alegria. Já pensou se a mentalidade na época de Garrincha fosse assim?

    E olha que o menino do Santos não chega nem aos pés de Mané.

    Obviamente, Neymar precisa ver que a firula não é um fim em si, mas apenas um instrumento para irritar o adversário.

    Neste ponto, ele é melhor do que Robinho.

    Acredito que devemos ser menos intolerantes.

    Beijos!

  4. Olá Fábio,
    Tudo bem?

    Concordamos num ponto: o corinthians precisa reconhecer que jogou mal, apesar do comportamento lamentável da arbitragem. É fato: o time precisa melhorar. O tal rodízio que o Mano tanto defendeu tem-se mostrado, desde a estreia na Libertadores, ineficiente. Ronaldo, Mano e Sanches reconheceram a superioridade da equipe santista. Não vamos repetir o erro dos palmeirenses na reta final do brasileiro do ano passado: reclamaram tanto dos erros da arbitragem que não sobrou tempo para arrumarem a própria casa.
    Mas uma coisa não dá para deixar de comentar: o juizão de ontem errou e errou feio. Achei a entrada do Moacir uma boa sacada do Mano. Deu velocidade e marcação ao time. Moarcir levou o primeiro amarelo numa jogada tola; o Neymar caiu sozinho e cavou a falta (cai-cai). Esse primeiro lance definitivamente não era para cartão. Nem sequer foi falta. Em diversos outros lances o juíz errou. Num lance do primeiro tempo, o Santos cometeu uma falta e o Ronaldo ficou livre para marcar o gol, mas o juiz não deu vantagem para o corinthians. Parou a jogada. Já no segundo tempo, numa jogada parecida, deu vantagem ao Santos e deixou o jogo correr (impedimento), o Felipe reclamou e levou cartão amarelo. O Roberto Carlos jogou mal e tem decepcionado em campo, mas se ele mereceu cartão amarelo naquele lance, o mesmo deveria ter ocorrido com os “meninos da vila”, que tanto tentaram cavar penaltis no primeiro tempo, sobretudo o Neymar.
    Houve sim favorecimento por parte da arbitragem. Mas disso pouco se fala. Afinal, o Santos desponta como a única alternativa para os “anti-corinthianos” de plantão, incluindo a mídia. É o queridinho do momento. Foi assim com o Palmeiras e o Internacional no primeiro semestre do ano passado.
    Mas como eu disse antes, um fato não isenta o outro. O Timão tem muitos problemas para resolver e uma derrota num clássico tem lá as suas vantagens: os problemas ficam exportos. Muita badalação, como você disse, pode comprometer o rendimento e todo o trabalho que (dizem) vem sendo feito.
    O que têm em comum o futebol apresentado na estreia na libertadores e o futebol de ontem, na vila? Primeiro, o corinthians não estudou como deveria os adversários. Errou na estratégia. E enquanto começa a buscar entrosamento… a outra equipe já está jogando bola. Elementar, meu caro Mano! Jorge Henrique e Roberto Carlos não jogam bem juntos. O JH não rende naquela posição. Está suprindo a ausência do Danilo. O Ronaldo não é (hoje) o salvador da pátria. O Elias ontem foi muito bem marcado e não conseguiu produzir nada. O Dorival Junior não é burro;pelo contrário, sabe que o volante tem participado das jogadas ofensivas do Timão. Enquanto o corinthians busca encontrar seu futebol; o time vai ficando cada vez mais previsível; sem criatividade. O William tem falhado muito, o Roberto Carlos está afobado, o Alessandro ontem eram melhor nem ter entrado em campo. E o armador do time? Pq o corinthians entrou sem armador? Racing é uma coisa, Santos é outra. Faltou avisarem isso ao Mano.

    O juiz errou, mas só conseguiu errar tanto pq o Corinthians foi inferior. Não jogou bem e não teve controle emocional para lidar com as firulas da molecada. E todo corinthiano sabe (ou deveria saber) que qualquer adversário dá a vida para ganhar do timão.

    O Felipe? Falha contra os pequenos e acerta contra os grandes. É uma incógnita nosso goleirão 🙂

    Há males que vem para bem, espero.
    abraços,
    Priscila

    Fábio Sallum: Priscila, ontem eu vi Ronaldo falando, em entrevista que esta equipe do Corinthians ainda estava desentrosada, pois tinha jogado poucas vezes junto.

    Então, qual foi o intuito de fazer o rodízio até a estréia da Libertadores?

    Como você destacou, tanto a partida contra Racing quanto o clássico de ontem demonstraram que a comissão técnica do Corinthians não estuda seus adversários.

    Fala-se muito em planejamento na imprensa, mas verifica-se que, quando colocado à prova, o tal trabalho realizado por Mano Menezes tem deixado a desejar.

    O time em campo ontem estava irreconhecível. Por isso, não podemos nos esconder nos erros de arbitragem – que sim, existiram -, sob pena de continuarmos a repetir estes erros.

    Abraços!

  5. Fábião, pq o trabalho tem deixado a desejar? perdemos 2 jogos no ano… concordo q o time não tem jogado o q se espera mas não podemos colocar o trabalho todo em xeque por causa de UMA derrota…se o Tcheco tivesse feito o gol no finalzinho, tava todo mundo falando do heróico empate q o Timão conseguiu… tá cedo pra assoprar a carneta… e sobre a firula do Neymar, se é na várzea q ele dá um chapéu com o jogo parado daquele jeito, era porrada na certa… concordo com a Priscila…
    Abraços

    Fábio Sallum: Calma, não estou acionado a minha corneta sobre a equipe.

    Mas o Corinthians, pelo quanto gastou em contratações, bem como pelo alardeado planejamento realizado, não tem conquistado resultados vistosos em campo.

    Isso eu já venho falando sobre isso desde o início do Paulistão.

    É preciso entrosar a equipe, afinar defesa e marcação, bem como conter o nervosismo diante de situações adversas – seja a catimba dos estrangeiros, seja a firula de jovens habilidosos.

    O intuito não é cornetar, mas alertar sobre possíveis erros que acabam sendo varridos para debaixo do tapete, empurrados por questões como os erros de arbitragem.

    Acredito que o retorno de Danilo será fundamental para isso, visto que a presença do armador vai ditar o ritmo do time ajudar a organizar o nosso meio-de-campo, que está um tanto perdido.

    Abraços!

  6. Lendo este post, esses comentários…e fico pensando:

    Caso o Tcheco tivesse feito aquele gol, e o jogo acabasse empatado, como seriam as matérias hoje?

    Estariam falando em show dos meninos da vila, que só não tomamos goleada por causa do Felipe, etc?

    Exceto raras exceções, a mídia esportiva brasileira causa asco.

    Fábio Sallum: Concordo com você, Diogo.

    Se Tcheco tivesse empatado a partida, o discurso da imprensa esportiva seria outro.

    Seria considerado um empate com tons heróicos, com apenas 9 em campo.

    Mas novamente fecharíamos os olhos para os erros cometidos.

    Seria melhor assim?

    Abraços!

  7. Ganso deveria ter tomado amarelo, no mínimo, logo aos 5 segundos de jogo, pela entrada em ronaldo. Foi intencional!

    http://www.lancenet.com.br/corinthians/noticias/10-03-01/709745.stm?futebol-ganso-entrada-em-ronaldo-foi-de-proposito

    Quero ver se os jornalistas irão comentar essa declaração. E o tribunal, não vai julgar?

    Esses moleques da baixada ainda são imaturos… Desse jeito logo eles caem do cavalo, morrem na praia. Veremos.

    Fábio Sallum: Pois é, quero ver como isso vai ficar.

    Dê uma lida no texto que fiz sobre o assunto e comente!

    Abraços!

  8. O Felipe podia ensinar o Rogerio Ceni a ser rebaixado 4 vezes que em troca o Rogerio Ceni ensinaria o Felipe a ganhar duas libertadores, dois mundiais, 3 brasileiros, ter 25 convocações e ir a 2 copas do mundo.

    Fábio Sallum: Quem vive de passado é museu.

    Me relate uma atuação memorável de Rogério Ceni com a camisa da seleção brasileira.

    Abraços!

  9. Me relate UMA ATUAÇÃO QUALQUER do Felipe na seleção. Memorável ou não.

    Você é um cara inteligente que enxerga as falcatruas que os dirigentes do seu time praticam e as publica sem medo.

    Me admira que o Felipe ao JOGAR PRA TORCIDA, engane você também.

    Masss….

    Velu … abs…..

    Fábio Sallum: Gabriel, eu concordo que às vezes o Felipe faz certas graças para a torcida.

    Mas ele é um goleiro muito competente que, apesar de certos altos e baixos, possui grande qualidade técnica.

    Talvez não tenha chegado a hora de ir para a Seleção. Mas vamos ser sensatos: ele é muito melhor que o Doni!

    No mais, agradeço pelas palavras!

    Abraços!

  10. O Dunga não tem critério.

    O cara que pega no gol aqui no clube em Uberlandia eh melhor que o Doni.

    Fábio Sallum: Eu não duvido não, Gabriel.

    O Dunga confia no Doni, fazer o quê?

    Só rezar para que o Júlio César não se machuque!

    Abraços!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: