Publicado por: Blog do Trio | 25/02/2010

Vencemos, mas…

CORINTHIANS 2 X 1 RACING/URU

Nação Corinthiana,

A noite de quarta-feira era, com certeza, a mais esperada do ano.

Em função de toda a expectativa em torno do centenário do clube, a estréia do Corinthians na Libertadores tomou ares de Copa do Mundo.

O Pacaembu recebeu um bom público, apesar de não estar lotado em razão dos altos preços cobrados pelos ingressos. A torcida fez realmente uma grande festa.

E, quando todos ainda olhavam os fogos que iluminavam a Praça Charles Miller, o Racing – que mostrou claramente não ter vindo a São Paulo para ser coadjuvante na festa – abriu o placar no primeiro minuto de jogo, com Cauteruccio recebendo a bola e saindo sozinho na frente de Felipe.

O resultado inicialmente desfavorável lembrava outra estréia corinthiana ocorrida sob grande pressão: a primeira partida da Série B, contra o CRB em 2008.

Mas, ao contrário daquela oportunidade, o Timão sucumbiu ao peso de disputar a Libertadores, não conseguindo assimilar o placar desfavorável. Tal fato se verificou nos inúmeros passes errados e no nervosismo do elenco, que embarcou na catimba da equipe uruguaia.

Após marcar o gol, o Racing fechou os espaços e tentou desestabilizar a equipe do Parque São Jorge, que acabou entrando na provocação. Os jogadores do Corinthians tinham dificuldade para suplantar a forte marcação da equipe adversária que, apesar de nível técnico inferior, dominava a partida.

Engessado, o Timão conseguiu chegar ao empate em belo lance iniciado por Ronaldo, que rapidamente acionou Tcheco. O ex-gremista, que tanto gerou desconfiança na Fiel no início do ano, mandou um passe de letra para Elias deixar a zaga uruguaia para trás, mandando a bola para o fundo das redes.

Apesar do empate conquistado, o Corinthians não conseguiu se impor, deixando as melhores chances a cabo da equipe adversária. E se não fosse a desatenção do bandeirinha, que marcou dois impedimentos inexistentes em lances dos uruguaios, a escrita seria bem diferente.

O era alardeado como um fácil embate se transformou num sufoco. Ronaldo e Jorge Henrique penavam com a marcação adversária, entrando no jogo de nervosismo dos uruguaios. Defederico sumiu em campo, enquanto Tcheco e Elias eram os mais efetivos com a camisa alvinegra.

Apesar de estar mais magro, Ronaldo ainda está muito longe de lembrar aquele atleta que encantou multidões. A falta de ritmo de jogo e de agilidade para fugir dos marcadores não permitiram que o camisa 9 externasse toda a sua genialidade em campo.

No segundo tempo, o Corinthians voltou com ímpeto maior e, aos poucos, foi se encontrando na partida. Mérito de Mano Menezes, que resolveu surpreender ao colocar Souza no lugar de Defederico, surpreendendo a torcida com a presença de duas referências na área.

Souza vem vivendo um momento de grande melhora em seu futebol, após protagonizar boas atuações no Paulistão.

O Racing se fechou em seu campo, tentando aproveitar os cada vez mais raros contra-ataques para lançar-se sobre a área alvinegra. Mas, para sermos sinceros, é preciso admitir: a vitória alvinegra só foi possível após a saída de Flores, que recebeu seu segundo cartão amarelo após falta violenta.

Com isso, o Racing praticamente abdicou de se lançar ao ataque, se segurando como podia no campo de defesa.

Ronaldo e Roberto Carlos, que deveriam ser os jogadores mais experientes em campo, se mostraram os mais sucetíveis às provocações adversárias, cometendo duras faltas que mereceram os cartões recebidos.

Porém, enquanto o camisa 6 batia cabeça ao arriscar chutes de fora da área, o Fenômeno se esmerava em tentar criar jogadas efetivas, chegando a protagonizar um belo lance em que fintou dois marcadores, mais foi parado em uma forte ombrada adversária.

E foi na base do sufoco que saiu o segundo gol alvinegro, praticamente repetindo o lance do primeiro gol: Ronaldo mandou passe para Souza que, de maneira desengonçada, deixou novamente Elias na cara do gol, virando o placar.

O Timão continuou buscando o gol, sem se entregar. E quase chegou ao terceiro com Ronaldo, que que teve seu chute defendido pelos pés de Contreras.

– Achei difícil [a estréia], principalmente pela falta de ritmo. Fiquei quase quatro semanas fora. A maneira do time jogar também muda. Senti dificuldades com o ritmo.

Em sua primeira partida pelo torneio, o Corinthians sentiu como será a pressão da Libertadores.

Apesar de ter sido uma vitória sofrida, não podemos nos enganar. O Timão não jogou bem.

A equipe já deveria estar preparada para o clima das partidas, bem como para lidar melhor com a catimba sul-americana.

Mas este ainda foi o primeiro jogo. Estas falhas podem ser facilmente sanadas, cabendo ao Corinthians repetir o ímpeto apresentado nos minutos finais do embate desta quarta-feira.

Passada a ansiedade da estréia,  é necessário voltar à preparação, a fim de saber administrar bem as participações na Libertadores e no Paulistão.

E no próximo domingo teremos uma pedreira contra o Santos, e seus meninos da Vila.

É hora de fazer a experiência suplantar o futebol moleque do pessoal do litoral.

O ano do centenário está apenas começando.

fabio.sallum@blogdotrio.com.br

http://twitter.com/FabioSallum

Anúncios

Responses

  1. Informações relativas a renda e público de cada jogo de estréia diante de sua torcida dos 5 clubes brasileiros na Libertadores-2010:

    *

    CORINTHIANS 2 x 1 RACING-URU

    RENDA: R$ 2.181.742,00
    Preço médio do ingresso: R$ 70,30

    PÚBLICO: 31.035 pagantes
    Estádio: Pacaembu. (capacidd aprox : 35.000 pessoas)

    *

    SÃO PAULO 2 X 0 MONTERREY

    RENDA: R$ 1.019.971,00
    Preço médio do ingresso: R$ 28,71

    PÚBLICO: 35.523 pagantes
    Estádio: Morumbi (capacidd aprox : 75.000 pessoas)

    *

    INTERNACIONAL 2 x 1 EMELEC

    RENDA: R$ 821.170,00
    Preço médio do ingresso: R$ 20,89

    PÚBLICO: 39.304 pagantes
    Estádio: Beira Rio (capacidd aprox : 55.000 pessoas)

    *

    CRUZEIRO 4 x 1 COLO-COLO

    RENDA: R$ 783.826,25
    Preço médio do ingresso: R$ 23,80

    PÚBLICO: 32.927 pagantes
    Estádio: Mineirão (capacidd aprox : 70.000 pessoas)

    *

    FLAMENGO 2 x 0 UNIVERSIDAD CATÓLICA

    RENDA: R$ 728.373,00
    Preço médio do ingresso: R$ 29,97

    PÚBLICO: 24.301 pagantes
    Estádio: Maracanã. (capacidd aprox : 90.000 pessoas)

    *

    Fábio Sallum: Tendo em vista o valor médio do ingresso, você acha que foi uma boa arrecadação?

    Abraços!

  2. bom dia Fabio.
    vc foi muito feliz no seu comentario quando ressaltou que apesar da vitória o time não jogou bem. é bom lembrar que o Racing é considerado o time mais fraco do grupo (pelo menso para os entendidos). Eu ainda acho que o Corinthians/2010 ainda é uma incognita, assim também como flamengo e internacional. Mas em libertadores tbm é importante ressaltar que 1 x 0 é goleada e vencer em casa é primordial. Um abraço meu irmão, e prabéns pela vitória.

    Fábio Sallum: Fala, co-irmão!

    Ao contrário de outros blogueiros corinthianos, eu não sou ufanista ao analisar as partidas.

    O Corinthians vai ter muitas dificuldades neste torneio e precisa saber assimilar bem o modo de jogar a Libertadores. Tem que se impor em campo e não pode cair nas provocações dos adversários.

    O Timão não jogou bem ontem. Todos imaginavam que seria um jogo fácil.

    Foi bom para que jogadores, comissão técnica e torcida deixem o oba-oba de lado e se atentem para a realidade dentro das quatro linhas.

    Dentre os clubes brasileiros, elejo Corinthians, Flamengo e Cruzeiro como os favoritos.

    Parabéns pela vitória no Maraca ontem.

    Abração!

  3. Fábião, deu pro gasto né… acho q o time não jogou melhor (ao menos o segundo tempo quando tinha 1 jogador de vantagem) por causa do Mano… ele fez cagada em colocar o Souza no lugar do Defederico… deveria ter entrado o Dentinho e pra jogar bem aberto lá pela direita com o Alessandro, mantendo o J. Henrique aberto na esquerda com o R. Carlos… achariam o espaço muito mais fácil… deu sorte q o gol saiu pelo meio mas foi falta de inteligência, na minha opinião… achei o R. Carlos muito nervoso, tava pior q a mulecada q não está acostumada… mas o q importa é os 3 pontos e tirar esse peso da estréia das costas….
    te cuida peixada…………….
    Abraços……..
    Vai Corinthians!!!!!!!!!!!!!!

    Fábio Sallum: Wagner, realmente o nervosismo excessivo de jogadores experientes como Roberto Carlos e Ronaldo me surpreenderam.

    Assim como me surpreendeu a ótima atuação de Tcheco, que foi o único jogador que entendeu a pegada da Libertadores.

    Talvez Iarley poderia ter sido uma opção interessante. É algo a ser verificado nas próximas partidas.

    Teremos um jogão no domingo, na Vila Belmiro!

    Abraços!

  4. Fala Fabião! Poxa, vai ser todo jogo assim? É mto sofrimento rapaz! rs

    Bom, acho que esse resultado foi melhor que uma vitória linda de 4×0 no Racing. Pq isso queira ou não, é a melhor forma de mostrar ao elenco os erros, e trazer o time que anda nas nuvens de volta ao chão. Felizmente o Timão não se intimidou com o gol e foi tentando ainda no início furar a defesa. Deu certo!

    Apesar de considerado fraco, não da pra negar que o Racing soube se fechar mto bem… Diferente do jogo do flamengo que o atacante estava praticamente sozinho pra fazer o gol… E qnto as substituições o Mano tirou o Alessandro, já que pouco estava sendo usado! Pois quase sempre corria livre pela direita e NGM aproveitava isso… Apesar de ter dado certo, me irritou tantas tentativas iguais de ataque, sempre pelo meio de campo…

    E que venha o Santos domingo!!!!

    Abraços

    Fábio Sallum: Felipe, nesse aspecto eu concordo com você.

    A partida de ontem foi importante para que a equipe – e todos nós – despertemos para o que realmente é a Libertadores.

    E é somente assim que iremos nos acostumar a disputar este torneio.

    Mas foi sofrido, hein?

    O Racing fez o certo aqui no Pacaembu e, por pouco, não aumentou o placar no primeiro tempo!

    No domingo teremos um belo embate contra o Santos.

    Com certeza, vai ser um jogão!

    Abraços!

  5. Rodei vários blogues e percebi que tem muito baba-ovo por aí, que não consegue escrever textos críticos e, ao mesmo tempo, apaixonados como o seu.

    Gostei muito da sua análise da partida. Foi exatamente o que eu vi lá do Pacaembu!

    E os lambaris que se cuidem!

    Fábio Sallum: Fico feliz ao ler isso, Jaime.

    Não podemos deixar que a paixão nos cegue.

    Ao contrário, ela tem que servir de combustível para lutarmos o melhor para nosso clube.

    Como diz um amigo que carrego dentro do peito: não basta torcer, tem que participar!

    Obrigado pelas palavras!

    Abraços!

  6. A estréia foi sofrida, com a cara do Coringão!
    O Tcheco calou toda a torcida e mostrou que manja de Libertadores!
    Já o DVDerico sumiu em campo!

    E pra quê levar o Moacir como lateral-direito reserva, se quem entrou no lugar do Alessandro foi o Jucilei??

    Saudações Corinthianas!!!!!!!!

    Fábio Sallum: Se Tcheco surpreendeu, Defederico decepcionou em campo.

    Mas não dá para fazer qualquer julgamento numa estréia.

    Eu acho que o Defederico é um jogador com grande potencial. Ele não é o “Novo Messi”, mas pode ser muito importante nessa Libertadores.

    Confesso que, em relação ao Moacir, eu me perguntava a respeito do assunto quando da divulgação da lista dos jogadores.

    Moacir ou Jucilei na lateral direita?

    Dodô ou Leandro Castan na lateral esquerda?

    Vai entender!

    Abraços!

  7. Fala Fabio,

    3 pontos e está ótimo. A torcida precisa ter calma e pensar que o importante é terminar em primeiro lugar no grupo, até porque temos aquela historia de 2 segundos lugares não se classificarem.
    O que não pode é levar um gol desses em casa em uma decisão de mata-mata. Ainda bem que podemos ter esses vacilos agora. A zaga tava inteira nervosa e pareciam pregados. Sorte nossa que o Racing parece não ter percebido isso. Mas o nervosismo da estreia passou e isso é importante. A torcida se comportou bem no estadio, bastando apenas ter calma, pois após a virada que não foi tão facil assim, o terceiro gol não era assim tão importante.
    Sobre a lista, apesar de não ter apresentado um bom futebol, me parece um desperdício dispensar o Edno. Meu medo é o Edno começar a jogar bola no Botafogo. O Mano sempre dá muitas chances para os jogadores, mas achei que o Edno teve poucas. Deixaria o Moacir de fora da lista, escalando o Jucilei na direita quando necessário. Mas agora já foi.

    Vamos aguardar dia 10.

    E domingo to torcendo para o Robinho poder jogar. Quem sabe temos um bom jogo.

    Abraço

    Fábio Sallum: A torcida fez o correto e foi maravilhosa no Pacaembu.

    O nervosismo foi grande, mas é preciso saber administrá-lo.

    As próximas partidas serão mais difíceis e é preciso não entrar na onda dos adversários.

    O Edno não teve grandes chances com a camisa alvinegra, por motivos que não saberemos explicar.

    Espero que seja feliz no Botafogo. Aliás, não tenho dúvidas que lá ele terá mais espaço para apresentar o mesmo futebol dos tempos de Portuguesa.

    Robinho tem que jogar no domingo. Assim como o Timão não pode entrar em campo sem suas estrelas, pelo bem do espetáculo!

    Abraços!

  8. Fabio, não concordo com a sua analise. Não acho que o time foi tão mal assim. Após levar o gol, o time não se desesperou, não ficou nervoso…tocou a bola com calma esperando encontrar espaços. O time uruguaio soube se defender muito bem, impôs muitas dificuldades ao nosso time. Não acho que foi uma bela exibição, mas gostei do posicionamento da equipe, da forma como a equipe encarou o jogo. Libertadores é assim mesmo, o importante é vencer. O time ainda vai melhorar muito pode ter certeza.

    – a defesa não pode vacilar daquele jeito;
    – apesar das criticas ai RC, eu estou gostando dele, é diferenciado e se posiciona muito bem em campo;
    – o Ralf ganhou a vaga, fato;
    – o theco mostrou que é muito bom jogador…o passe de letra foi espetacular;
    – o Defederico não pode mais entrar numa Libertadores, lembra muito o Morais…fraco;
    – espero que o Mano não coloque mais o Souza.

    Fábio Sallum: Rogério, eu respeito a sua opinião, mas não gostei do Timão em campo.

    Como escrevi, acho que o time ficou bastante nervoso após o gol do Racing e entrou na provocação dos uruguaios.

    Com o tempo, foi entendendo o esquema e dominando a partida.

    Não podemos vacilar na bola aérea, que é uma das grandes armas das demais equipes da Libertadores.

    Acho que o Roberto Carlos ainda não mostrou a que veio, realizando lances para agradar a torcida, mas sem efeito prático para equipe. Pior, poderia ter muito bem sido expulso ontem.

    Aos poucos o Timão vai pegando o ritmo, uma vez que esta equipe é, sem dúvida, a melhor que já representou nossa camisa numa Libertadores.

    Vamos ter paciência e torcer!

    Abraços!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: