Publicado por: Blog do Trio | 23/02/2010

Início de Jornada!

Nação Cornthiana,

No Brasil, é praxe dizer que o ano só começa após o carnaval.

Pois, para o corinthiano, o ano de 2010 terá realmente início nesta quarta-feira, quando se inicia a participação do Corinthians na Copa Libertadores da América.

O Timão estréia pegando o Racing/URU no Pacaembu, em uma partida que deve registrar altos índices de audiência às emissoras de televisão.

Isso se dará não tanto pela importância do jogo, pois será um embate preliminar contra uma equipe inexpressiva e que, em tese, não deverá ser suplantada com grandes dificuldades.

A questão principal reside na excessiva pressão exercida pela torcida e pela imprensa sobre a equipe em relação à inédita conquista.

O anseio da Fiel pela conquista da Libertadores – assim como o próprio corinthianismo em si – é algo realmente fora da realidade. Porém, tal expectativa já gerou a ocorrência de  episódios lamentáveis no passado recente, bem como se tornou alvo das incessantes provocações dos rivais.

Neste ano, a ansiedade pela conquista do torneio sul-americano foi potencializada pelo centenário do clube, bem como pela contratação de jogadores consagrados para a equipe.

Vale ressaltar que, além da imprensa, a própria diretoria do Corinthians ajudou a aumentar a temperar a panela de pressão da torcida, uma vez que sempre se apresentou com o discurso de que “Libertadores é a prioridade da equipe”.

Um exemplo disso foi a grande comoção gerada pela divulgação da lista dos jogadores que representarão o Corinthians na Libertadores: os 25 Manos do Mano. Nem as atuais convocações da Seleção Brasileira têm gerado tanto alvoroço.

Em razão disso, comissão técnica e atletas se revezam na imprensa para tentar jogar um pouco d’água fria neste caldeirão, falando o óbvio: o Corinthians não pode apostar todas as suas fichas na Libertadores deste ano.

Ao contrário, o Timão precisa criar o hábito de disputar tal torneio, pegando os traquejos que nos faltam para as partidas sul-americanas, aprimorando o planejamento ao longo dos anos.

Além do mais, já verificamos nos últimos tempos que comemorar cem anos não tem relação com a conquista de  inúmeros títulos. Os centenários de Flamengo, Internacional/RS e Coritiba estão aí para confirmar.

Resumindo, a questão é uma só: vamos torcer, vamos vibrar e vamos nos cobrir de preto e branco neste Centenário. Com certeza, teremos grandes partidas e emoção de sobra no torneio intercontinental.

Mas não podemos fazer tanta pressão sobre nosso time. É preciso afastar o pensamento de que “é tudo ou nada em 2010“.

Afinal, Libertadores não é obrigação!

É só mais uma taça com a qual precisamos nos acostumar a disputar.

fabio.sallum@blogdotrio.com.br

http://twitter.com/FabioSallum

Anúncios

Responses

  1. Fala Fabio, quanto tempo!
    Faço minhas as suas palavras. Há um exagero nessa cobrança. De minha parte continuarei corinthiano e torcedor independente do que acontecer no ano do Centenário. Nunca houve tanto alvoroço, nem em participações anteriores do timão na tal lista. Muita coisa colabora para essa pressão, a começar pelos altos preços cobrados pela diretoria, o que ainda eu acho absurdo. Estou achando que não teremos lotação máxima do Pacaembu por conta disso. Acho que valores cobrados como o da final da Copa do Brasil, que a renda foi de 1,8 milhões já estavam mais do que satisfatório e com certeza teriamos casa cheia. Daí o torcedor paga caro e quer ver o time vencer e a pressão aumenta.
    Estou com bons pressentimentos com a partida de amanhã. O time está motivado. Apesar de algumas mudanças, principalmente a saída do Cristian, estou achando que vamos jogar como o primeiro semestre do ano passado. O Corinthians deu o primeiro passo para vencer não inscrevendo o boquita e Escudeiro.
    Vamos ver o que vai dar. Amanhã estaremos lá! Tomara que a torcida cante e apoie como fez 2008 inteiro na série B!

    Saudações Alvinegras.

    Fábio Sallum: Fala, Vitor!

    A idéia tem que ser justamente essa: apoiar a equipe, mas sem essa pressão absurda por parte da torcida.

    Já pensou se fosse assim na Série B?

    Com certeza o abusivo preço dos ingressos, bem como todo o barulho feito na imprensa, é um fator importante nessa equação.

    Tendo em vista a falta de paciência de alguns torcedores nas partidas anteriores – com inéditas e, às vezes, desnecessárias vaias -, confesso que tenho medo da reação em caso de algum resultado adverso.

    Vamos torcer e cantar, transformando o Pacaembu num caldeirão!

    Abraços!

  2. A Libertadores é, inegavelmente, um grande desejo dos corinthianos. Afinal, é o título que falta para um clube que, em 100 anos, cumpriu uma trajetória iniguável, partindo dos campos de várzea e atingindo a posição de clube mais importante do país mais importante do futebol. E a isso se soma o fato de ser um título já conquistado por todos os nossos principais rivais estaduais.

    Mas vamos devagar com as coisas. O Corinthians já é o time mais importante e glorioso do país, independentemente de não haver conquistado, ainda, uma Libertadores. Nós somos os maiores campeões do campeonato estadual mais importante, o Paulistão, com 26 títulos. Nós somos os maiores campeões do torneio regional mais importante, o Rio-São Paulo, com 5 títulos. Nós somos os maiores campeões nacionais, com 7 conquistas, sendo 4 títulos do Brasileirão e 3 da Copa do Brasil. Nós já conquistamos um título geografica e qualitativamente superior à Libertadores: o Mundial. Somos o primeiro clube campeão do mundo.

    Ganhar a Libertadores é, sim, difícil. Porém, vejam o Cruzeiro: ganhou duas vezes a competição continental antes de conquistar o seu primeiro campeonato brasileiro. O São Paulo ficou sem ser campeão brasileiro por quinze anos, de 1991 a 2006, e, nesse período, ganhou três vezes a Libertadores. Sem falar que ganharam três Libertadores mas nunca ganharam a Copa do Brasil em sua história (e tentaram…e tiveram derrotas doídas…).

    Não se trata de dizer que as uvas estão verdes. Mas o significado da Libertadores para o Corinthians vai além do seu valor intrínseco, de ser o mais importante torneio continental na América e de garantir vaga no Mundial. A Libertadores é importante justamente porque o Corinthians não a ganhou. Afinal, a não-conquista da Libertadores é uma das maiores (se não for a maior) das bandeiras dos anti-corinthianos. Quando o título vier, vão, com certeza, desvalorizá-lo: já não é o que era, o juiz ajudou, bom mesmo era no tempo da intercontinental…

    Enfim, temos que ganhar a Libertadores, sim. Se for este ano, ótimo. Vai ter um sabor parecido com o do nosso primeiro Brasileirão, em 1990. Melhor, talvez. Mas, com certeza, não vai nos proporcionar aquela sensação de triunfo supremo, de primeiro de todos, de maior de todos, como a sensação da conquista do 1° Mundial de Clubes, em 2000. E, muito menos, não há conquista da Libertadores capaz de atingir a emoção inigualável, indescritível, do dia da libertação, o 13 de outubro de 1977.

    Fábio Sallum: José, seu texto é realmente irretocável!

    Honestamente, não tenho mais o que acrescentar.

    Esse é o verdadeiro espírito que deve tomar conta de todos nós corinthianos!

    Abraços!

  3. Fábião, demorou mas saiu um belíssimo texto… concordo plenamente com todas ponderações citadas… e a lista? gostou?
    Abração
    Vai Corinthians!!!!!!!!

    Fábio Sallum: Pois é, demorei um pouco.

    Mas agora estamos de volta!

    Olha, acho que a lista de jogadores divulgada pelo Mano foi muito além da questão técnica.

    Escudero e Balbuena não são exemplos de bons jogadores, mas não tinham sido contratados para a Libertadores?

    Moacir para a lateral direita e Dodô para a esquerda? Não sei não.

    A questão do Rafael Santos ser reserva imediato do Felipe também é um tanto estranha.

    Mesmo assim, é uma equipe bem forte e bastante competitiva.

    Vamos torcer!

    Abraços!

  4. vc quer dizer q são favorecidos os jogadores com certos empresários? num sei será, cara…
    pq uma coisa dessas ia dar muito na cara… achei q foi até coerente, menos os reservas das laterais… quanto ao rafael, acho q se o felipe se machucar entra o J. Cézar, pelo menos acho q ele tem um pouquinho de experiência a mais q o Rafael… acho q a numeraçao é só pra inglês vê… o Escudero q num entendi estar fora…. agora q pode bater um pouco o Mano deixa o cara de fora…
    de resto vamos com o q temos de melhor…
    Abraço

    Fábio Sallum: Wagner, nós não podemos ser ingênuos em relação a essas coisas, sobretudo no futebol.

    Uma lista como essa leva em consideração inúmeros interesses que vão além da própria questão técnica dos atletas. Ainda na mais no Corinthians, onde conselheiro, diretor, presidente e empresário dão seus pitacos.

    Nos últimos tempos, o Mano Menezes tem utilizado o Rafael Santos como reserva imediato ao Felipe, deixando Júlio César de lado. Na Libertadores, não deverá ser diferente.

    Abraços!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: