Publicado por: Blog do Trio | 22/01/2010

Pegando o ritmo!

CORINTHIANS 2 X 1 BRAGANTINO

Nação Corinthiana,

A noite desta quarta-feira prometia. A homenagem aos campeões mundiais de 2000 e estréia de Roberto Carlos com a camisa do Timão animaram a torcida, que lotou o Pacaembu em um jogo que, praticamente, tinha pouca validade.

Não foi como esperávamos, é verdade. Mas deu para sentir um gostinho de como será o ano do Centenário.

A celebração dos dez anos do Mundial deixou a desejar. Não por falha da diretoria ou da comissão que cuida do assunto, porque tudo foi realizado nos conformes.

Entretanto, apenas Luisão e Edu – que atualmente faz parte do planel alvinegro – estiveram presentes e deixaram seus pés na Calçada da Fama. Para não citar outros, o que dizer de Dinei, Vampeta e Marcelinho Carioca, que sempre se aproveitaram da ligação com o Timão para se perfazerem?

Quanto ao dito “Senhor Centenário”, o descaso foi mais evidente, visto que ele é agora um funcionário do clube, pago (e muito bem, por sinal!) para participar de eventos como esse. Vale lembrar que ele estava no Pacaembu, aproveitando todas as mordomias do Setor VIP. É assim que Marcelinho demonstra seu amor pela sua “segunda pele”?

Descasos à parte, o Timão iniciou a partida com muita gana e vontade de vencer. Logo no primeiro minuto, Jorge Henrique (o nome do jogo) enfiou uma bela bola para Iarley, que foi interceptado por um zagueiro. A bola seguia vagarosamente para o gol, e, antes que fosse afastada por um jogador do Braga, encontrou seu caminho ao fundo das redes pelos pés de Elias.

O Pacaembu explodiu em festa e tudo sinalizava uma goleada, entoada pelos cânticos da torcida.

Porém, a esperada saraivada de gols não aconteceu. O visível nervosismo dos atletas atrapalhava a formação de jogadas, bem como a qualidade das finalizações.

Nervosismo este que pode ser explicado pela pressão exercida pela torcida e pela imprensa, devido à importância atribuída aos festejos de 100 anos do clube.

Ficou claro que a comissão técnica terá que trabalhar muito bem esse fator, a fim de não deixá-lo influir em partidas decisivas. Como bem disse Ronaldo, em sua entrevista coletiva realizada na segunda-feira, a expectativa e a atribuição de rótulos à equipe somente atrapalha.

Além disso, alguns fatores particulares ficaram evidentes. Iarley, que se destacou na primeira partida, se mostrou um tanto fominha, desperdiçando lances que poderiam ser convertidos em gols, caso a bola fosse tocada para companheiros mais bem posicionados.

Por mais que a comissão técnica e a imprensa tentem maquiar a situação, Ronaldo está longe de ser aquele jogador que definiu o Paulistão do ano passado. Pesado, lento e sem ritmo de jogo, não conseguiu sair da marcação adversária e teve poucos lampejos individuais.

Quanto a Tcheco, a situação é um pouco mais complicada. Ontem se iniciou um capítulo de uma novela que vimos acontecer no ano passado, envolvendo Souza e a torcida. Esperamos que Danilo não sofra a mesma recepção.

O ex-gremista cadencia a bola e realmente é um pouco lento – lembrando a maneira de Douglas jogar. Porém, vaiar um jogador recém-chegado é extremamente exagerado e injustificável. Apesar dos erros, Tcheco não merecia essa acolhida por parte da Fiel e terá que ser poupado momentaneamente por Mano Menezes, a fim de encontrar a tranquilidade necessária para vestir a camisa 10 alvinegra.

A defesa e a marcação, que foram os pontos-chave da equipe nos anos anteriores, têm se mostrado como setores deficitários. É preciso realizar ajustes para evitar que a Fiel sofra mais sustos com as bolas alçadas na área, bem como com contra-ataques velozes.

É bem verdade que o gol do Bragantino se originou pelo setor de Roberto Carlos. Porém, o novo camisa 6 do Timão demonstrou muita vontade em campo, realizando desarmes importantes e participando ativamente da criação, sendo responsável por belos lançamentos. Dono de uma técnica pouco vista nos gramados nacionais, édono de uma bomba poderosa.

Evidentemente, é uma grande contratação e ainda trará muitas alegrias aos corinthianos.

Ralf também se mostrou bastante efetivo, realizando desarmes importantes. Travará uma disputa acirrada pela titularidade na posição, a qual é cheia de postulantes no plantel.

No intervalo da partida, um intenso temporal tomou conta do Pacaembu. A chuva, apesar de incômoda, ajudou a esfriar os ânimos da equipe corinthiana, que conseguiu se impor e administrar melhor a partida. O Bragantino, por sua vez, parecia estar satisfeito com o empate e se fechou, tentando segurar a pressão do time da casa.

Irritada com Tcheco, a torcida clamava por Defederico. No entanto, no lugar do camisa 10, Mano colocou o ótimo Juciley em campo. Iarley deu lugar a Dentinho.

Coube ao incansável Jorge Henrique fazer o simples: após dominar a bola na entrada da área, mandou um belo chute no canto da meta visitante, selando o placar.

Roberto Carlos ainda assustou a torcida quando, ao dar um carrinho, foi parar no banco corinthiano, atropelando Bill e machucando suas costas. Felizmente, o lateral esquerdo não se lesionou. Tendo em vista a falta de opções para o setor – o que é uma evidente preocupação -, Mano colocou o esforçado Boquita na equipe, deslocando Jorge Henrique para a lateral.

A vitória foi magra e angustiante. Mas serviu para começar a colocar a equipe nos eixos, visto que o Timão da Libertadores não deve ser muito diferente deste visto no Pacaembu.

No domingo, Mano deve testar uma nova formação. Os titulares serão poupados e Danilo deve fazer sua estréia com a camisa do Corinthians.

E esta vai ser a finalidade do Paulista: experimentar, testar e ajustar.

Basta ao torcedor ter paciência e torcer.

fabio.sallum@blogdotrio.com.br

http://twitter.com/FabioSallum

Anúncios

Responses

  1. Ontem deu pro gasto!
    O Jorge Henrique é foda! Tem que ser titular!

    Esse Tcheco não mostrou a que veio!!

    Bela análise! Falou tudo!

    Fábio Sallum: Jorge Henrique foi o melhor e campo e não pode ir pro banco.

    É JH + 10!

    Obrigado pelas palavras!

    Abraços!

  2. O Roberto Carlos mandou muito bem no jogo! Lutou, brigou e mostrou raça!
    Já o Ronaldo tá uma bola!!!!! Mal conseguiu parar em pé!!!
    Os fisioterapeutas protegem ele demais!

    VAI CORINTHIANS!!!!
    CONTRA TUDO E CONTRA TODOS!

    Fábio Sallum: Acredita que vi jornalista criticando o Roberto Carlos?

    O cara mostrou vontade e técnica.

    Quanto ao Ronaldo, não dá pra tapar o sol com a peneira.

    Mesmo gordo, ele está acima dos outros. Mas não pode se contentar apenas com isso, tendo em vista seu potencial.

    Tem muita gente no Corinthians e na imprensa que passa a mão na cabeça do Fenômeno.

    Abraços!

  3. ESSE MARCELINHO É UM MERCENÁRIO!!!!

    SEGUNDA PELE É O CARALHO!! O NEGÓCIO DELE É GRANA!

    O DINEI É OUTRO QUE SÓ APARECE PRA PEDIR VOTO PRA SER VEREADOR!

    CAMBADA DE VAGABUNDO!!

    Fábio Sallum: Confesso que fiquei decepcionado com as atitudes destes e de outros ex-jogadores do Timão.

    Abraços!

  4. FORA TCHECO!!!!!

    DE-FEDERICO! DE-FEDERICO!!

    VALEU, FABIÃO! VOCÊ É 10 E REPRESENTA A NAÇÃO!

    Fábio Sallum: As críticas ao Tcheco, por ora, são injustas.

    A torcida não pode hostilizá-lo assim, logo de cara.

    Será que o Defederico teria sido mais efetivo em campo?

    Obrigado pelo carinho!

    Abraços!

  5. Nao podemos colocar 35 mil no pacaembu e vaiar jogador na segunda apresentação.
    Na arquibancada laranja a coisa tá ficando feia. Ninguém canta e reclama o tempo todo.
    Quanto ao time, Ralf foi bem, apesar da afobaçao no inicio do jogo e JH excelente como sempre.

    Abraço e até segunda!

    Fábio Sallum: Vitor, parte do tradicional público da numerada descoberta se deslocou para a laranja, em razão dos altos preços dos ingressos.

    A vaia ao Tcheco foi inadmissível.

    Abraços!

  6. Olá Fábio, tubo bem?

    Não gostei do jogo, mas também não aprovei a atitude (de parte) da torcida. É preciso ter paciência com o time neste início de temporada – com o Tcheco e os recém-contratados principalmente.

    Não estou suportando é o assédio desmedido da imprensa. Não dou mais audiência aos comentários grosseiros de alguns jornalistas (da tv e da internet), as provocações bizarras de certos blogueiros nem as atitudes imaturas de ex-jogadores mercenários e/ou com dor-de-cotovelo.

    O torcedor corinthiano não pode ficar refém da sua própria sorte. Somos maioria, somos apaixonados mas NÃO somos massa de manobra. O que importa é o clube e a sua história; todo o “resto” que se aproveita disso passa (que bom!)

    O Jorge Henrique dispensa comentários. Sou fã do baixinho desde as semi-finais da Copa do Brasil do ano passado. Dá orgulho vê-lo honrando a camisa do timão. Eu o chamo de “Chapolin Colorado” do time. O Roberto Carlos é outro que promete. O cara tem estilo.

    abs,
    Priscila

    Fábio Sallum: É bom ler esse tipo de comentário, mas ainda tem uma grande parcela da torcida que se deixa levar como massa de manobra.

    Em especial, alguns organizados que abaixam a cabeça para tudo, em troca de algumas migalhas. Ou de “incentivos” para o carnaval.

    É preciso ter paciência com os jogadores que estão chegando. Espero que a torcida repense a atitude em relação a Tcheco e rezo para que não façam o mesmo com Danilo.

    Essa pressão exacerbada só atrapalha o time. Desejamos a Libertadores, mas não podemos transformar isso em uma obsessão desmedida, onde vale tudo.

    O Jorge Henrique é fera e dispensa comentários. Dá gosto de vê-lo jogar com a camisa do Timão.

    E Roberto Carlos promete!

    Abraços!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: